Saneaqua reforça programa de combate às perdas de água em Mairinque para enfrentamento dos períodos mais secos de 2021

Com poucas chuvas e o início do período de estiagem, concessionária estabelece ações preventivas em plano de contingência.

Essencial para a eficiência operacional do saneamento básico da cidade, as ações de combate às perdas de água no sistema de distribuição de Mairinque estão entre as principais medidas preventivas do plano de contingência elaborado pela Saneaqua, concessionária responsável pelos serviços de água e esgoto do município, para o enfrentamento dos próximos meses de estiagem.

O primeiro trimestre de 2021 em Mairinque foi o mais seco dos últimos quatro anos, de acordo com dados da rede pluviométrica do Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), responsável por medir o volume de chuvas em todo o estado de São Paulo. Os meses de janeiro, fevereiro e março acumularam 240 milímetros de chuva na cidade, índice 45% menor que o registrado no mesmo período em 2020, que foi de 437 milímetros. 

Na cidade, a média histórica para o período é de 465 milímetros de chuva, o que significa que as precipitações de 2021 ficaram 48,4% abaixo da média esperada para os três primeiros meses do ano.

Com a menor ocorrência de chuvas já apontadas no boletim climatológico elaborado pelo Instituto Internacional de Pesquisa em Clima e Sociedade (IRI-CPC), análise que indica as precipitações neste primeiro semestre do ano, os níveis das represas Fiscal e Carvalhal, responsáveis pelo abastecimento de 50% do município, e a recarga do lençol freático nos 18 poços de captação, que garantem o abastecimento de outros 50% do município, devem se manter abaixo da média.

Diante desse cenário, a Saneaqua reforça suas ações de melhorias e investimentos em todo o sistema de água do município. Todas as medidas têm papel fundamental num possível agravamento da disponibilidade hídrica durante o ano.

Uma das ações é o programa de combate às perdas de água, criado para oferecer maior disponibilidade de água à população, diminuindo o impacto ambiental na captação e prestando um serviço de qualidade para a cidade. “São ações que ocorrem durante toda a concessão, mas que estão sendo reforçadas neste ano como uma das medidas de enfrentamento aos períodos mais secos de 2021”, explica Luana Ronconi, responsável pela área de operações da Saneaqua.

As perdas de água nos sistemas de abastecimento correspondem, basicamente, à diferença entre o volume total de água captado e produzido na estação de tratamento combinado à soma dos volumes medidos nos hidrômetros instalados nos imóveis da cidade. A diferença entre o que foi produzido e o volume medido representa as perdas de água no sistema de distribuição. Significa que a água, de alguma maneira, foi desperdiçada, seja por vazamentos, por falhas no sistema de medição ou até por ligações clandestinas.

De acordo com dados do Ranking do Saneamento, divulgado pelo Instituto Trata Brasil em março deste ano, o país perde 39% da água potável produzida, o que significa que para cada 100 litros de água produzida no Brasil, 39 litros não chegam formalmente a nenhum imóvel. Mairinque encerrou 2020 com um índice de 30% em perdas de água, o menor registrado desde o início da concessão. Anteriormente, em 2011, quando a concessionária assumiu a operação do sistema, esse índice era de 56%.

A Saneaqua busca, de forma contínua, aprimorar o sistema de controle de perdas adotado em Mairinque. Para este ano, estão previstas ações de substituição de 1.056 hidrômetros e de 3.000 metros de redes, a instalação de macromedidores e de válvulas reguladoras de pressão, além da criação de novos setores de medição e a continuidade das atividades de localização de vazamentos não visíveis.

A empresa também realiza um programa com teste de estanqueidade e gerenciamento da pressão da água nos bairros Nova Mairinque, Granada (parte Alta), Jardim Cruzeiro (parte baixa) e São José. Essas ações facilitam a identificação de vazamentos e reduzem o índice de perdas de água nos bairros.

“O combate às perdas de água é indispensável para a preservação dos recursos hídricos e fundamental para o enfrentamento de períodos de estiagem. Toda a água que hoje é preservada fará a diferença em períodos mais secos do ano”, reforça Luana.

A concessionária também incentiva o controle do desperdício de água junto à população. O pouco volume de chuvas em 2021 já demonstra a necessidade de um compromisso coletivo para a prática de um consumo consciente de água. Pequenas atitudes fazem a diferença no uso e na preservação dos recursos hídricos.

DICAS PARA UM CONSUMO CONSCIENTE DE ÁGUA

Mantenha a torneira fechada ao escovar os dentes, fazer a barba e ao ensaboar a louça. Ao escovar os dentes com ela aberta, você gasta cerca de 13,5 litros de água em apenas dois minutos.

Tome banhos curtos. Cinco minutos são suficientes para fazer a limpeza do corpo e, enquanto você se ensaboa, o registro deve ser fechado. Isso gera uma economia de até 30 mil litros no ano.

Preste atenção e conserte eventuais vazamentos na sua casa. Um buraco de apenas 2 milímetros na tubulação de uma única casa desperdiça 3.200 litros de água por dia.

Organize a louça antes de lavá-la. Use uma bacia para deixar os utensílios de molho, para amolecer a sujeira, lave toda a louça e enxágue tudo de uma única vez. Isso também ajuda na economia.

Converse com as pessoas à sua volta sobre o consumo consciente de água, incentive ações de economia e redução no uso desse bem tão valioso.